terça-feira, julho 04, 2006

L de lésbica

Ontem cheguei tarde a casa (depois de me consolar a ver o "Ritmo e Sedução" no cinema: um filme muito humano, óptimo para quem gosta de dança e para quem se interessa por educação) e dei uma espreitadela à série em referência. Condicionado pelo pouco que vi, algumas observações:
-inacreditável que seja transmitida em canal aberto (não apanhei nenhuma das ditas cenas a que os media se referem, mas acho péssimo andar a dar ideias...*);
- a série parece pensada para entreter lésbicas e homens que gostam de mulheres ;-) Todas girissimas, impossível não pensar: "que desperdício!". Isto é, como muitas vezes acontece, é um faz de conta "para entreter" que ilude a realidade: vidas irreais com pessoas irreais, dando por comum, o que é excepcional, totalmente limitadas na percepção do drama humano, numa vida em que não acontece o que acontece na vida de todos (doenças, acidentes, morte de amigos, problemas na educação dos filhos, encontros familiares, ocupação e stress profissionais, etc).
- quem é que no seu perfeito juízo, gostaria que as suas amigas, mulher, filhas, mãe e avó, fossem lésbicas?
* Explico-me para contrariar desde já a pergunta "você acha que alguma miuda ou mulher vai ficar lésbica por ver esta série?". A minha resposta é "Acho, há muitas probabilidades que tal aconteça. Por duas razões:
- é um dado da experiência humana que conhecer o significado de determinados actos ou factos, pode vir a provocar uma identificação do afecto e do instinto com esse significado, sendo que em caso contrário tal teria passado desapercebido e
- sobretudo os mais novos, num período de descoberta da própria sexualidade são influenciados, como nós fomos, pelas primeiras sensações, percepções, gratificações adquiridas. Se estas acontecerem nesse contexto pode bem dar-se que a sexualidade venha a ser marcada, influenciada, atravessada, por essas situações."

21 comentários:

Anónimo disse...

O senhor é completamente demente!

Antonio Pinheiro Torres disse...

Porquê?

Anónimo disse...

boa pergunta! porquê??? não terá por ventura dito o António Maria tudo aquilo que tanto pensamos e não dizemos? ora bem, eu apoio as suas críticas!

mirsa disse...

demente.. só se for de(boa)mente

Anónimo disse...

Não!! Demente de atrasado mental! (Atrasado mental no sentido de quadrado, burro,etc., e não no sentido de deficiente mental, pois esses são cidadãos que, pelo que conheço, respeitam as outras pessoas e não andam a perseguir quem tenta viver a sua vida).

Anónimo disse...

e assim como esses cidadãos respeitam os outros, o senhor também TEM OBRIGATORIAMENTE que respeitar a opinião de alguém cujas opiniões tanto interessam na nossa sociedade! Não é chamar demente a alguém que o senhor consegue mostrar a sua indignação... sejamos coerentes com aquilo que defendemos e não ataquemos injustamente pessoas de renome!

Anónimo disse...

Renome??? Pffff... Este senhor persegue uma série de pessoas das nossas sociedades actuais, em nome de uma religião que, pela mão do Homem, foi perdendo toda a sua humanidade ao longo dos séculos. Será isto tolerância? Amor incondicional ao próximo?? Compreensão? Não me parece! E como tal, da mesma forma que me sinto ofendida pelos comentários do VIP de "renome" (lol) António Pinheiro Torres, tenho todo o direito de também exprimir que o acho uma pessoa completamente quadrada, demente, etc.. Não se trata de injustiça, trata-se da mesma liberdade de expressão de que este senhor abusa!

Anónimo disse...

"Este senhor persegue uma série de pessoas das nossas sociedades actuais, em nome de uma religião"... quer explicar pf ??

Anónimo disse...

Não. Se não concorda, problema seu!

Antonio Pinheiro Torres disse...

No entanto valia a pena perceber porque e que comentarios como estes que aqui fiz são sentidos como perseguição. Por duas razões: primeiro porque e chato incomodar outras pessoas sem que o proposito seja esse e convem apurar se estamos perante hipersensibilidade ou o que. Depois porque de considerar perseguição a achar que abuso da liberdade e um passo e foi sempre por caminhos como estes que se tentaram calar outras pessoas ao longo da historia da humanidade (ou ate alegando que quem pensa de certa forma e demente ou doente psiquiatrico e por isso passivel de internamento psiquiatrico, como acontecia na Russia comunista...). Vamos pois ao debate e sem medo! Demente, porque? Perseguidos, como?

Antonio Pinheiro Torres disse...

No entanto valia a pena perceber porque e que comentarios como estes que aqui fiz são sentidos como perseguição. Por duas razões: primeiro porque e chato incomodar outras pessoas sem que o proposito seja esse e convem apurar se estamos perante hipersensibilidade ou o que. Depois porque de considerar perseguição a achar que abuso da liberdade e um passo e foi sempre por caminhos como estes que se tentaram calar outras pessoas ao longo da historia da humanidade (ou ate alegando que quem pensa de certa forma e demente ou doente psiquiatrico e por isso passivel de internamento psiquiatrico, como acontecia na Russia comunista...). Vamos pois ao debate e sem medo! Demente, porque? Perseguidos, como?

Anónimo disse...

ai está!! uma resposta genial dada por um homem brilhante!!!

Anónimo disse...

Não sei onde está o génio e o brilho de uma pessoa completamente quadrada, como é o caso!

Anónimo disse...

o senhor defende as suas teorias atacando os outros.. muito fácil sim senhor! o dificil é explicar porque as defendemos, com convicção, como faz o AMPT. Faça um favor a si mesmo: pense,formule raciocinios coerentes e exponha esse reciocínios!Terei mto prazer a ler,se esses não tiverem como objectivo ataques infundados e inexplicados! obgd !

Anónimo disse...

Raciocínio:
Que mal tem duas pessoas do mesmo sexo, que se amam, que vivem uma relação saudável e feliz, casarem e acederem aos mesmos direitos que teriam se casassem com uma pessoa de sexo diferente?
Raciocínio:
Que mal tem as mesmas pessoas que, frequentemente(engana-se quem pesa o contrário), têm capacidade financeira e equilibrio psicológico suficientes, bem como bastante amor para dar, adoptarem uma criança, educá-la e dando-lhe uma vida totalmente diferente da que teria numa qualquer instituição?
Raciocínio:
Porque é que, persistentemente, perseguem (neste site) estas pessoas, que pagam os seus impostos, trabalham, educam-se, cultivam-se e que, no fundo, apenas tentam ser felizes como toda a gente?
Raciocínio:
Este blog está cheio de ideias preconceituosas, pré-concebidas, erradas e deturpadas da realidade. Acima de tudo, há que ter compreensão. Não andamos todos atrás do mesmo???
Raciocínio:
Sei que, mesmo que escrevesse eternamente comentários neste blog, jamais conseguiria sequer pôr os fiéis seguidores de AMPT e o próprio a pensar pelas suas próprias cabeças e a serem realistas! Wake up to rela world!!

Anónimo disse...

agradeço imenso ter exposto os seus raciocinios com clareza e precisão! respeito a sua opinião, e como vê não é necessário insultar ng para ser ouvido! espero que continue a dar a sua opinião como finalmente fez,ou seja,com educação, pois eu terei todo o gosto de ler e se,eventualmente,discordar com algo, iniciarmos uma discussão civilizada! é isso que é preciso meu amigo, civismo,independentemente de sexo,raça,credos religiosos,etc! o meu Deus ensina-me que devo Amar todo o próximo independentemente tudo, mas também que o devo respeitar! e eu, acredite ou não, respeito-o !

Anónimo disse...

Os seus comentários não demonstram nem respeito, nem compreensão. Sente-se ofendido por lhe chamar quadrado? Paciência, também me sinto ofendida com muitas das coisas que leio no seu blog! Respeito é ter sensibilidade para nos sabermos colocar no lugar do outro; tb lhe pode chamar de empatia, se preferir. É isto que o meu Deus me ensina!

Antonio Pinheiro Torres disse...

Cara Comentadora:
Um esclarecimento. Assino sempre os meus comentários e por isso o penultimo a que respondeu, não é meu.
De qualquer das formas não me ofendo com o quadrado. Não acho ofensivo e quem publica na net, arrsca-se a ouvir disto (na melhor das hipoteses... :-)
Atrevo-me a comentar os seus raciocinios. Ponho cada um e depois respondo.
Cumprimentos!
Raciocínio:
Que mal tem duas pessoas do mesmo sexo, que se amam, que vivem uma relação saudável e feliz, casarem e acederem aos mesmos direitos que teriam se casassem com uma pessoa de sexo diferente?
Lamento, casar quer dizer complementar/encaixar e está reservado a homem-mulher. Toda a tutela juridica que é procurada (sucessões, direito de visita, arrendamento, etc.) deve ser resolvido nos institutos proprios.
Raciocínio:
Que mal tem as mesmas pessoas que, frequentemente(engana-se quem pesa o contrário), têm capacidade financeira e equilibrio psicológico suficientes, bem como bastante amor para dar, adoptarem uma criança, educá-la e dando-lhe uma vida totalmente diferente da que teria numa qualquer instituição?
Percebo que para quem viva com normalidade e equilibrio uma relação homossexual, já não suscite estranheza a mesma. Mas queira-se ou não, o normal desenvolvimento da criança (em circunstâncias normais, isto é estatisticamente frequentes, que corresponde a duas pessoas, um homem e uma mulher, estarem juntas)pede o confronto com dois sexos. Queira-se ou não, ao Sábado de manhã, a criança procurar a cama dos pais e encontrar dois homens ou duas mulheres abraçadas, não é saudável. Sorry...
Raciocínio:
Porque é que, persistentemente, perseguem (neste site) estas pessoas, que pagam os seus impostos, trabalham, educam-se, cultivam-se e que, no fundo, apenas tentam ser felizes como toda a gente?
O termo perseguir parece-me excessivo. Limito-me a ajuizar (não no sentido de julgar como juiz, nem se calhar no sentido de ter juízo...:-)sobre o que se vai passando na nossa sociedade. Onde uma cultura de imposição da homossexualidade está em curso e com a qual eu estou em desacordo.
Raciocínio:
Este blog está cheio de ideias preconceituosas, pré-concebidas, erradas e deturpadas da realidade. Acima de tudo, há que ter compreensão. Não andamos todos atrás do mesmo???
O facto de pensar como penso, não afasta a compreensão (o que até soa um pouco paternalistico, eu, se fosse homossexual, estava-me nas tintas para a compreensão, faria o que entendesse e, citando Roberto Carlos, "que o resto vá para o inferno"...).
Diz aqui é uma grande verdade e atrevo-me a recomendar-lhe um livro ("O Sentido Religioso" de Luigi Giussani, editado pela Verbo). Andamos todos atrás do mesmo. Os nossos corações são iguais: um desejo ilimitado de paz, justiça, bondade, beleza e verdade. Embora provavelmente lhe cause estranheza, o meu e o seu coração estão feitos da mesma maneira. O que nos distingue é o caminho que fazemos para responder a esses desejos do nosso coração.
Raciocínio:
Sei que, mesmo que escrevesse eternamente comentários neste blog, jamais conseguiria sequer pôr os fiéis seguidores de AMPT e o próprio a pensar pelas suas próprias cabeças e a serem realistas! Wake up to rela world!!
Apetecia-me aqui citar um Padre amigo que uma vez dizia: "já reparararam como aqueles que dizem que pensam pela própria cabeça, dizem todos a mesma coisa?"... :-)
Eu sei, que há um "real world". Eu sei que digo coisas contra-corrente na sociedade de hoje em dia. Não vejo porém que as pessoas estejam por isso mais felizes e seja melhor viver hoje do que já foi noutros tempos (descontado o progresso tecnológico)...
Um abraço e obrigado pelos seus comentários!

11:02 PM

Anónimo disse...

Um abraço e meta os seus comentários pelo cu acima!! Vai ver que, se calhar, até gosta!!! (desculpe a má criação mas, como em tudo na vida, chegamos a um ponto em que não vale a pena insistir e, por isso, mandamos as coisas à merda! O sr sabe que é uma questão de tempo! As coisas vão mudar inevitavelmente. Por isso, anime-se e deixe de ser tão rancoroso com as pessoas que são "(a)normais" - do seu ponto de vista, claro!!).

Antonio Pinheiro Torres disse...

Como pede desculpa pelo "desabafo" não me vou deter nele. Percebo perfeitamente: as vezes apetece mesmo mandar tudo para a pqop!:-)
Que as coisas estão a mudar é um facto. Que elas parecem mudar na direcção que aponta, também me parece evidente. Já houve outros momentos assim na história da humanidade. Foram aqueles momentos em que se afundaram as traves e as portas. E em que só ficaram cinzas.
Mas ao contrario do que pensa, estou animadissimo. A Igreja católica nunca esteve tão viva como hoje, mais pequena é certo,mas cheia de vitalidade, convicta e sobretudo feliz! Não lhe passa pela cabeça a vida que há nas nossas comunidades, a forma como vivem os nossos doentes, a forma como a morte é recebida e acolhida, estamos cheios de filhos (um bocado atrapalhados é certo, mas quem tem filhos tem cadilhos)e a nossa militância nunca foi tão boa, os nossos padres dão gosto ea vida consagrada (dentro e fora da clausura) um espectaculo de humanidade. Daí não nasce nenhum rancor, mas sim um grande amor por cada homem e mulher, uma certeza de que Deus nos ama a todos e nos quer bem, de que podemos já gozar o céu aqui na terra e que a eternidade é um sitio bom para se viver. Por isso, sempre que quiser, cá estou para conversarmos. Um abraço e muito obrigado pelos seus comentários!

Anónimo disse...

Não tem de quê! Sabe, muitas vezes vivemos onde queremos viver (chama-se esquizofrenia ou até mesmo autismo). A felicidade é algo de muito subjectivo. Acredite que fico muito contente por o sr estar tão de bem com a vida! É tão lindo viver nesse mundo que o sr descreve! Por acaso não viu por aí a Branca de Neve, ou a Cinderella?